O menino arteiro
Autor: Gil Veloso



ISBN: 978-85-64333-02-4
Ano: 2011
Edição: 1
Número de páginas: 40
Formato: 21 x 25cm
Preço R$36.63

 
 
 
De artista e louco quem não tem um pouco? Este menino tem um pouco e muito mais...
Gil Veloso descreve sua maneira de ser: gosta de dar vida a muitas coisas aparentemente sem serventia e sua mente sempre está no centro de um redemoinho estonteante. Em suas imagens, Guto manipula diversos objetos e transforma radical e poeticamente suas funções do dia-a-dia. Humor, poesia e surpresa são marcas de seu trabalho.

Selecionado - FDE 2013 - Programa Sala de Leitura | Capa inserida em livro de arte - Porta Aberta Arte - Solange Utuari e outros - Editora FTD | Kit Escolar 2015 - Belo Horizonte
 

The naughty boy

 Everybody has a little bit of an artist inside themselves. This boy has a bit and a lot more… He just cannot stand still. Moved by creative winds, his mind is constantly in the middle of a dizzying whirlpool. By being like that, he has given life to a number of apparently useless things. Will this continue once he grows up? Guto’s images reaffirm art as an unlimited enigma because it often appears do lack purpose, and it responds to the current flow of utilitarian and comforting messages with uncertainty, indeterminacy and, above all, with humor that corrodes everything.   

 

Gil Veloso é paranaense e reside em São Paulo há mais de 30 anos. Por dez anos foi assistente do escritor gaúcho Caio Fernando Abreu. Editou o livro Pequenas Epifanias, de Caio Fernando Abreu (Sulina, 1996). Trabalhou também com Lygia Fagundes Telles e João Silvério Trevisan. Publicou Fábulas Farsas (2009) e Travessuras, histórias para anjos e marmanjos (2010), pela editora Opera Prima, ambos premiados pelo PROAC.  Fábulas Farsas, ilustrado por Vanderlei Lopes, e Pois ia brincando... (Dedo de Prosa, 2013), imagens de Alex Cerveny, foram selecionados pela FNLIJ para os Catálogos de Bolonha (2010 e 2014). Também publicou pela Dedo de Prosa A pedra encantada (2011), ilustrado por Nara Amelia; Um viaduto chamado Minhocão (2015), desenhos de Paulo von Poser.
 
Guto Lacaz é arquiteto e artista plástico. Em 1974 abriu seu próprio estúdio, o Arte Moderna, onde realiza todo tipo de trabalho de criação. Recebeu 20 prêmios entre eles: 1ª Mostra do Objeto Inusitado, dois prêmios Abril de Jornalismo por ilustrações na revista Playboy, Bolsa Guggenheim, 5 melhores designers pela revista Design Gráfico e Prêmio APCA Obra Gráfica. Publicou os livros: Desculpe a letra (Ateliê Editorial, 2000), Gráfica (Arte Moderna, 2007),omemhobjeto guto lacaz (Decor Books, 2010). Ilustrou mais de 15 livros, entre eles: Tudo tem a sua história, de Duda Machado (Editora 34), Mandaliques, de Tatiana Belinky (Editora 34) e Para criar passarinho, de Bartolomeu Campos de Queirós (Global). É membro da Alliance Graphic Internationale AG.
Guto Lacaz, artista multimídia, desenhista, ilustrador, designer, cenógrafo e editor de arte de revistas. Sua produção transita entre design gráfico, criação com objetos do cotidiano e exploração das possibilidades tecnológicas na arte, sempre tratada com humor e ironia. O artista mostra-se extremamente coerente com a variedade de lugares e situações onde apresenta seus trabalhos: de galerias e museus a teatros, espaços públicos e televisão.
Em suas obras e performances, Guto manipula diversos objetos e apresenta-se como uma mescla de artista-ator, inventor e mágico. Em suas instalações, transforma radical e poeticamente as funções dos objetos do dia a dia, chegando a tangenciar o insólito.
 

Video ALEX ALEX - A foto dessa obra faz parte do livro "O menino arteiro" - http://goo.gl/VPXQb8

Resenha sobre o livro na coluna "Prosa" - Jornal O Globo - "A vanguarda na sala de aula" - 21/03/15 http://goo.gl/89q8UZ


http://www.macvirtual.usp.br/mac/arquivo/noticia/GutoLacaz/GutoLacaz.asp, 13/06/2011

Trata-se basicamente de um artista plástico que, às vezes, cruza os terrenos da ciência e da tecnologia, sobretudo quando constrói as suas máquinas e aparelhos paradoxais ou absurdos. A tese que parece sustentar o seu trabalho é a de que a arte independe de qualquer teleologia; ela é o que é, esse enigma inesgotável, entre outras coisas porque lhe faltam finalidades. Ao fluxo quantitativo das mensagens utilitárias e confortantes que trafegam diariamente nos canais majoritários da mídia, a arte responde com a incerteza, a indeterminação e, acima de tudo, com um humor que corrói tudo.

http://www.cibercultura.org.br/tikiwiki/tiki-index.php?page=Guto%20Lacaz, 13/06/2011

 

Joyce Pascowitch, blog Glamurama: glamurama.uol.com.br 

 Blog da patida: blogdapatida.blogspot.com

 

 

Ilustríssima - 20/11/2011

 

 

O escritor Gil Veloso traz no seu livro infatojuvenil a história de um garoto formidável, dado a inventar objetos com tudo o que está ao seu alcance, como a porta do próprio quarto ou um guarda-chuva. As artes do menino incompreendido, cheias de vida e de graça, são ilustradas com trabalhos de Guto lacaz

 

Release - Márcio Junji 

Com artes de Guto Lacaz, o quarto livro do autor paranaense radicado em São Paulo é um exercício poético para todas as idades sobre as iluminadoras transgressões do espírito infantil

Leia release


Outras novidades em "Notícias & Estímulos!" 

Verifique o perfil da Dedo de Prosa no Mercado Editorial!

 

O menino arteiro

De artista e louco quem não tem um pouco?

Este menino tem um pouco e muito mais...

O danado já nasceu pronto, pronto pra aprontar!  

Ele é arteiro o tempo inteiro, até dormindo; do forno do seu sono saem sonhos medonhos e risonhos tipo este que acabou de sonhar:

"Sonhei que ficava careca.

Chorei, ninguém teve dó!  

Quando acordei eu usava a peruca da vovó."

O que será deste menino quando crescer?

 

Haicai 

Verso inverso

palavras brinca o menino

livro travesso

Palavras fascínio

arte arteira brincadeira
divertido trocadilho

Rosa Haruco Tane